Arquivo da categoria: Evento

Belchior

1477672378_477741_1477674655_noticia_normal

O cantor e compositor Belchior, expoente da música popular brasileira por suas letras contestatórias, melancólicas e irônicas, morreu neste sábado aos 70 anos.

[…]

O compositor, autor de sucessos como Medo de avião, Velha roupa colorida e Apenas um rapaz latino-americanoteve o auge da carreira nos anos 70, com discos próprios e gravações de intérpretes como Elis Regina, que transformou Como nosso pais, composta pelo cearense, em hino de uma época. Em 1976 gravaria o disco Alucinação,que o consolidaria no cenário musical nacional, ao lado de outros músicos conhecidos como “pessoal do Ceará”. “Belchior trancou a matrícula no curso de medicina e se mandou, cantou na ‘barra pesada’ e venceu com Hora do almoço um festival universitário de âmbito nacional.

El País

Amyr Klink na Travessa

cxym9lew8aa99ks

[p 18]

A busca por segurança total é uma ficção, assim como a liberdade sem limites nos engana. Podemos nos considerar seguros, confortáveis, vendo televisão no sofá, postando fotos no facebook, adiando decisões importantes só por mais um dia, mais uma hora, sem plena consciência do risco. O tempo escorrendo. E há o risco de você não seguir adiante com aquele plano, não apostar na ideia. Não insistir, construir, finalizar. Para quem ficou de braços cruzados em Jurumirim, o mundo simplesmente não saiu do lugar. Se a gente não se movimenta, não persegue, não arrisca, as coisas continuam do mesmo modo onde sempre estiveram.

Sempre que deixei o Brasil para realizar uma viagem mais complexa, ou aparentemente impossível de ser levada a cabo, alguns amigos, conhecidos, desconhecidos, não hesitaram em aconselhar que eu desistisse: “isso não vai dar certo!”. Os maiores problemas que enfrentamos nem sempre são de natureza financeira ou técnica – o desânimo e as opiniões negativas também nos agridem de forma espetacular. É muito fácil encontrar desculpas para não fazer as coisas. Achar motivos para deixar para amanhã ou deixá-las como estão. É fácil cruzar os braços e ficar esperando soluções de algum lugar fora daqui. Sorte? Você é que constrói as suas oportunidades. Novos caminhos não vão aparecer pela sorte.

Amyr Klink estaria na livraria Travessa do Shopping Leblon para autografar seu mais recente livro. Comprei (não tinha tempo a perder) e fui para a fila (que cresceu rapidamente enquanto eu ia ao caixa). Não sei muito sobre o livro. Mas como nesta altura da minha vida também não tenho tempo a perder acho que vai ser inspirador ou estimulante. Amyr Klink é um realizador pragmático capaz de uma certa dureza com os negligentes que parece arrogância. Mas é apenas um modus operandi de alguém que não está na vida a passeio. 

Amyr Klink parecia deslocado, tímido (não sei se ele se declara assim mas me pareceu). Conversamos um pouco enquanto ele escrevia a dedicatória. Disse que não sabia que ele era canhoto. Ele perguntou se eu era. Falei que meu filho é que era canhoto. E que os canhotos tinham dificuldades ao escrever com caneta tinteiro pois a mão vinha borrando a escrita. E que as esferográficas foram a salvação dos canhotos. Aí ele me mostrou a mão manchada de tinta da esferográfica.

Sei que sessões de autógrafos são uma tortura para os escritores. Se a fila for muito grande torna-se uma maratona estafante. Noblesse oblige.

63 anos…

fa0794a658d8f1dbef84b1be5c28a9ce

Haja “hoje” para tanto “ontem”.

Paulo Leminski

No nosso aniversário, este contraditório acontecimento, merecemos parabéns por que? Nada fiz a não ser viver. Heróicos, todos atravessamos a vida qual num sonho. Esvai-se o sentido a cada ano que passa. Como se o sentido fosse dado pela quantidade de anos que ainda falta viver. Mas esta falta de sentido é mesmo um sentido mais autêntico se pudermos trocar as coerções externas e inexoráveis pelas nossa volúvel vontade interna. Nada traçado na pedra. Um voo mais sinuoso do que os das borboletas. Gostaria de buscar a leveza de um “flâneur”.

Quanto mais pesado o fardo, mais próxima da terra está a nossa vida, e mais ela é real e verdadeira. Por outro lado, a ausência total de fardo faz com que o ser humano se torne mais leve do que o ar, com que ele voe, se distancie da terra, do ser terrestre, faz com que ele se torne semi-real, que seus movimentos sejam tão livres quanto insignificantes. Então, o que escolher? O peso ou a leveza?

Não existe meio de verificar qual é a boa decisão, pois não existe termo de comparação. Tudo é vivido pela primeira vez e sem preparação. Como se um ator entrasse em cena sem nunca ter ensaiado. Mas o que pode valer a vida, se o primeiro ensaio da vida já é a própria vida? É isso que faz com que a vida pareça sempre um esboço. No entanto, mesmo ‘esboço’ não é a palavra certa porque um esboço é sempre um projeto de alguma coisa, a preparação de um quadro, ao passo que o esboço que é a nossa vida não é o esboço de nada, é um esboço sem quadro.

Kundera

in A insustentável leveza do ser

Anima Mundi 2016

anima-mundi-capa-facebook-11

anima-mundi-2016-10-27

anima-mundi-2016-10-28.png

anima-mundi-2016-10-29

anima-mundi-2016-10-30

Locais:

Infelizmente variados motivos impediram que eu assistisse a qualquer filme neste Anima Mundi. Espero ainda ver o filme do Studio Ghibli no cinema.

Links:

ROCINO CRISPIM E REGIONAL CABOCLO TOCAM LUIZ AMERICANO

Fui no show com um colega de trabalho que tinha conseguido dois ingressos. Eu só sabia que seria uma apresentação de chorinho. Para minha surpresa tocaram Luís Americano, saxofonista nascido em Sergipe. Já tinha ouvido falar dele no show Ventos do Norte, do Leo Gandelman.

Links relacionados:

Festival do Rio 2016: 6 a 16 de outubro

festrio_1

doisneau_kiss

Filmes vistos (no topo os primeiros):

  1. Mistério na Costa Chanel ou Ma Loute
  2. No andar de baixo
  3. Robert Doisneau: Through the Lens ou Robert Doisneau: Le Révolté Du Merveilleux
  4. Lost in Paris (2016)
  5. Captain Fantastic (2016) – IMDb
  6. Souvenir (2016)
  7. Sieranevada (2016)
  8. Tramps (2016)

Filmes ordenados (no topo os melhores) :

  1. Souvenir (2016)
  2. Robert Doisneau: Through the Lens ou Robert Doisneau: Le Révolté Du Merveilleux
  3. Lost in Paris (2016)
  4. Mistério na Costa Chanel ou Ma Loute
  5. Tramps (2016)
  6. Sieranevada (2016)
  7. Captain Fantastic (2016) – IMDb
  8. No andar de baixo

Halvening do BitCoin

img832-bitcoinhalving_news

img832-bitcoinhalving_addlb

Ver