Poliglotas…

revistauniversomaconico_a-torre-de-babel-e-os-primeiros-macons-1200x520

  1. A terra inteira tinha uma só língua e usava as mesmas palavras.
  2. Ao migrarem do oriente, os homens acharam uma planície na terra de Senaar, e ali se estabeleceram.
  3. Disseram uns aos outros:”Vamos fazer tijolos e cozê-los ao fogo”. Utilizaram tijolos como pedras e betume como argamassa.
  4. E disseram:”Vamos construir para nós uma cidade e uma torre que chegue até o céu. Assim faremos nome. Do contrário seremos dispersos por toda a superfície da terra”.
  5. Então o Senhor desceu para ver a cidade e a torre que os homens estavam construindo.
  6. E o Senhor disse: “Eles formam um só povo e falam uma só língua. Isto é apenas o começo de seus empreendimentos. Agora, nada os impedirá de fazer o que se propuserem.
  7. Vamos descer ali e confundir a língua deles, de modo que não se entendam uns aos outros.
  8. E o senhor os dispersou daquele lugar por toda a superfície da terra, e eles pararam de construir a cidade.
  9. Por isso a cidade recebeu o nome de Babel, Confusão, por que foi lá que o Senhor confundiu a linguagem de todo o mundo, e de lá dispersou seres humanos toda a terra.

Wikipedia

O tema do aprendizado de outras línguas é muito atraente para mim. Certa vez passei um mês em Albany, CA, na village dos estudantes com minha filha e circulava o máximo que podia de bicicleta nas imediações, em Berkeley e São Francisco.

Fui ao parque Golden Gate andar de Segway e fiz algumas incursões na Cheese Cake Factory (passei a adorar os cheese cakes de lá), na Macy’s, e na Ghiraldelli atrás de um maravilhoso sorvete com chocolate, além dos chocolates. Cheguei a ir de bicicleta até Sausalito atravessando a ponte Golden Gate.

E em todas estes bordejos procurei não me importar com o meu nível incipiente no inglês. Lembrei que os anglófonos se viram bem no Brasil porque adoramos facilitar a comunicação para eles. Pensava que nosso complexo de inferioridade é que nos levava a facilitar para eles devido a uma subserviência instintiva. Preconceitos sempre são insidiosos.

Podemos, é claro, encontrar pessoas intolerantes com aqueles outros que não falam bem o seu idioma e se sentem ofendidas ou impacientes com isso. Afinal, dentro de cada país, somos punidos no sistema educacional quando não conseguimos bom desempenho linguistico. Levamos isto as vezes para o nosso contato com os falantes nativos de outras línguas.

O que eu ouvia bastante quando vinha com o meu “sorry my English” é que “the important is to communicate”. Esta postura de se comunicar não se importando com a “lisura” no idioma adotei instintivamente pensando que se houvesse alguma má vontade do interlocutor eu passaria para o seguinte. Como estava na California esperava mais tolerância, imaginava eu, do que em alguns outros lugares mais xenófobos por qualquer motivo. As pessoa adoram que você tente falar a língua delas. Parece uma homenagem. Por mais canhestra que seja a tentativa.

Se a babel mítica não tivesse se estabelecido como realidade, se todos falassem a mesma língua, talvez fosse pior. A barreira da língua é uma rampa em que é melhor subir juntos para descortinar, do alto, uma paisagem melhor de compreensão da diferenças. E isto, talvez, torne desimportante outros fatores e passe a exercer um papel pacificador da nossa “ojeriza ao estranho”.

.Ao receber um vídeo sobre o uso do “to e do “for” do Mairo Vergara comecei a “divagar“ (e não navegar) pela Web e vi que vários conselheiros sobre o assunto falam de desobstruir o aprendizado dos vários preconceitos que atrapalham muito. O próprio Vergara fala disso e valoriza observar os métodos variados usado pelos poliglotas. No Ted Talk do Benny Lewis ele também bate nesta tecla.

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s