Os dinossauros e o humor

Comecei a rever o filme “O parque dos dinossáuros”. Lembro-me de ter visto o filme, na sua estréia, nas primeiras filas do cinema. Devido ao sucesso do filme não consegui um lugar mais atrás. Ali no gargarejo a sensação era de que seria pisoteado pelo tiranossáuro ou atacado pelos velociraptors. Minhas costas doiam de tanta tensão. Resolvi antes de terminar de ver o filme ler o livro. Para conhecer as diferenças em relação ao filme. Fiquei intrigado com uma menção à serotonina. Sabia que a serotonina estava ligada à sensação de bem-estar. É classificado como um neurotransmissor e sua deficiência causa irritabilidade e depressão, entre outras coisas. No livro o dilofossáuro (veja a imagem acima), uma das espécies citadas, cospe veneno. Parece que é um erro cometido na obra. A aparência também é diferente no filme onde o “dilofossáuro” abre uma gola.

Pois a serotonina é um ingrediente ativo em muitos venenos de vários animais: arraias, escorpiões, aranhas, formigas etc, além de ser um neurotransmissor importante para a nossa saúde. O acidente com a penetração do ferrão de uma arraia no peito matou Steve Irwin não o fez por causa da serotonina, que é causadora de intensa dor, mas pela destruição mecânica dos tecidos pelas farpas do seu arpão quando da sua retirada.

Devido ao meu recente interesse por nutrição comecei a pesquisar sobre as fontes de serotonina na dieta. Descobri que a serotonina encontrada nos alimentos quando no sangue não passa pela barreira que protege o cérebro. Os órgão que produzem serotonina são o intestino e os neurônios do cérebro. A serotonina produzida no intestino não penetra no cérebro e, por isso, a serotonina necessária ao cérebro é produzida pelos proprios neurônios a partir do triptofano. O triptofano consegue penetrar a barreira sangue/cérebro através de um transportador e não é produzido no corpo. Somente através da alimentação obtemos o triptofano. Agora começa o imbróglio. O transportador é disputado por outras substâncias e isso pode deixar a quantidade de triptofano que passa a barreira menor. O triptofano, no caso de uma dieta de baixo carboidrato como a paleolítica vem das proteínas. Parece bom, não é? Mas nas fontes de proteínas também estão as substâncias que disputam o transportador. E isto acaba fazendo que haja uma redução na serotonina no cérebro que precisa do triptofano para produzir a serotonina. Contraditoriamente a ingestão de carboidratos, que não possuem triptofano, pode aumentar a disponibildade do mesmo no cérebro por não fornecerem as substâncias que disputam o transportador e, com isso, aumentar os níveis de serotonina no sistema nervoso central causando a sensação de bem estar as custas da elevação da insulina. Por causa disso alguns praticantes da dieta paleolítica discutem com sanar isto ingerindo carboidratos (alguns sugerem a batata doce) na refeição que fazem antes de dormir. Felizmente parece que o fenômeno dos incômodos pela baixa serotonina são temporários em alguns casos. Eu mesmo não tive insônia e não percebi muita alteração no meu humor.

Um outro aspecto da questão da serotonina é que a atividade de atletas pode induzir uma maior quantidade de triptofano passando pela barreira do cérebro elevando os níveis de serotonina até causar o fadiga central, algo do qual eu nunca tinha ouvido falar. Mas pensando um pouco no assunto lembrei de que o estilo paleolítico defendido por Mark Sisson prevê, além da pirâmide alimentar, uma pirâmide de exercícios que pode prevenir os efeitos citados que acontecem com atletas. A pirâmide primal de exercícios é para nós os seres mortais normais. Prevê exercícios em vários níveis prevenindo a lesão, fortalecendo o corpo e recomendando bastante descanso como parte deste fortalecimento. Além de não precisar ser um atleta de exercícios de longa duração para ter saúde.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s