Arquivo do mês: janeiro 2013

Programação:

  • 1) 16 JANEIRO – Quarta-Feira- 12h30 – CCBB – Entrada franca GARCIA & DIAMANTE QUARTETO – Daniel Garcia (saxofone), Ronaldo Diamante (contrabaixo), Marco Tomaso (piano) e Paulinho Diniz (bateria). O quarteto lança seu primeiro CD. No programa músicas autorais e clássicos do Jazz.CCBB – Rua Primeiro de Março, s/nº – Centro. 
  • 2) 20 JANEIRO – Domingo – 11h30 – MAM – Entrada franca GRUPO CORDA -Nikolay Sapoundjiev (violino), Emília Valova (cello), Ana Azevedo (piano), Lipe Portinho(contrabaixo) e André Tandeta (bateria). O grupo lança o CD. No programa: Astor Piazzolla- As Quatro Estações Porteñas, Oblivion, Scualo, Adios Nonino. Museu de Arte Moderna – Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do FlamengoCapacidade: 200 lugares 
  • 3) 23 JANEIRO- Quarta-Feira- 12h30 – CCBB – Entrada franca TUTTI CLÁSSICOS IN JAZZ – Ana Azevedo (piano), Daniel Garcia (saxofone), Lipe Portinho(contrabaixo), André Tandeta (bateria). No programa: Temas da música erudita brasileira e universal em forma de jazz, como: Pavane de Fauré, Siciliano de J.S. Bach e Carmen de Bizet. 
  • 4) 26 JANEIRO – Sábado – 18h – HEBRAICA – Entrada franca ADRIANO SOUZA TRIO – Adriano Souza (piano), Rômulo Gomes (contrabaixo), Xande Figueiredo (bateria). No programa: Músicas autorais e clássicos do Jazz. Adriano Souza – Fundou o grupo instrumental Xekerê. Em 2000, lançou seu trabalho instrumental solo , o cd “Tocando o céu”. Em 2008 participou do show 50 years of Bossa Nova na Austrália ao lado de artistas como Roberto Menescal. Em 2010 participou do Festival de Pianos do Rio de Janeiro. Estará acompanhado por Rômulo Gomes – contrabaixo e Xande Figueiredo – bateria. 
  • 5) 27 JANEIRO – DOMINGO – 11h30 – MAM – Entrada franca AUGUSTO MATTOSO TRIO – Augusto Mattoso (contrabaixo), Ithamar Acieri (piano) e Rafael Barata (bateria). Augusto lança seu terceiro CD autoral. No programa músicas autorais e clássicos do Jazz. Museu de Arte Moderna. Av. Infante Dom Henrique, 85 – Parque do Flamengo. Capacidade: 200 lugares
  • 6) 30 JANEIRO – Quarta-feira – 12h30 – CCBB – Entrada franca GRAVÍSSIMO BASS ENSEMBLE – Quarteto de contrabaixos: Lise Bastos, Tarcisio Silva, Augusto Mattoso, Lipe Portinho. O Gravíssimo tem como característica os arranjos para a formação e a abertura para o improviso. Trata-se de um quarteto de contrabaixos que para aumentar as possibilidades de timbres também são acompanhados por um piano, Ana Azevedo, e uma bateria, André Tandeta em parte do repertório. Programa:Beatles, Piazzolla e clássicos do Jazz.
  • 7) 31 JANEIRO – Quinta-feira – 12h30 – Casa de Ruy Barbosa – Entrada franca HAMLETO STAMATTO TRIO – Lançamento do CD “Gafieira Jazz”. No programa: Tom Jobim, João Donato, Jorge Benjor, etc. A vitoriosa carreira do pianista, compositor, arranjador e produtor Hamleto Stamato segue de vento em popa através de múltiplas realizações de sucesso desde quando despontou como radiosa promessa nos anos 90, afirmando-se ao galgar um plano de destaque no panorama da música instrumental brasileira do Século 21. Após gravar três excelentes CDs intitulados SPEED SAMBA JAZZ, editados pela Delira Música com grande sucesso de público e crítica, Hamleto dá continuidade à série com o lançamento simultâneo do CD e DVD, na mesma embalagem, com o subtítulo “Gafieira Jazz”.

Fonte:   http://www.cultura.rj.gov.br/evento/rio-jazz-festival

Música (é Magia) Para Todos - RJ

riojazz

Ver o post original

A Mock Object in Smalltalk

This is not a post for anyone who has written any Smalltalk in their time because they would have already covered this ground many times over. This is more to demonstrate how easy it is to create proxy/fake objects in Smalltalk.

I first came across the MockObject when I started reading about Extreme Programming. I was working in C# mainly, I can’t remember exactly how I came across XP/Unit Testing, but it is what led me to Smalltalk (Kent Beck’s comments in his books: Smalltalk this! Smalltalk that!)

The normal usage of a Mock Object is within the confines of a set of unit tests. However I found that Mock Objects are also incredibly useful within a Smalltalk Workspace as well. The purpose of this post is show the implementation of a mock object in Smalltalk, and how long it took me to write.

http://www.cincomsmalltalk.com/userblogs/malby/blogView?showComments=true&printTitle=A_Mock_Object&entry=3293316866

Object subclass: #MockObject
	instanceVariableNames: 'callbacks'
	classVariableNames: ''
	poolDictionaries: ''
	classInstanceVariableNames: ''

MockObject class>>new
	^super basicNew initialize

MockObject>>initialize
	callbacks := Dictionary new.

MockObject>>on: aSymbol do: aBlock
	callbacks at: aSymbol put: aBlock

MockObject>>doesNotUnderstand: aMessage
	^(callbacks includesKey: aMessage selector)
		ifTrue: [ self performCallback: aMessage ]
		ifFalse: [ super doesNotUnderstand: aMessage ].

MockObject>>performCallback: aMessage
	^(callbacks at: aMessage selector)
		valueWithArguments: aMessage arguments

Memoized Blocks in Smalltalk

memoized

I came across this post on memoization in Smalltalk by way of James Rober’s blog, but it was lacking in actual code!

Memoized block in GitHub.

https://gist.github.com/jcromartie/2705526

Memoization de block closure é possível graças ao lexical scoping que permite que o cache esteja no contexto do bloco.

Links relacionados:

A década perdida da Microsoft

Ao som de uma música melosa de elevador, Steve Ballmer atravessou correndo o palco do salão de baile do Venetian, um luxuoso hotel-cassino de Las Vegas. Numa parede de 7 metros de al-tura, dezenas de telas piscavam seu nome. O presidente mundial da Microsoft, de 56 anos, deu um abraço apertado no apresentador de rádio e tevê Ryan Seacrest, que acabava de convidá-lo para fazer a palestra de abertura da Consumer Electronics Show 2012, a grande feira de tecnologia de Las Vegas.

Mais de 150 mil nerds e executivos caíram como uma nuvem de gafanhotos nos hotéis da cidade em janeiro para esse megafestival anual de engenhocas e tecnologia de ponta. Os participantes corriam de um estande para outro, agarrando brindes e trombando com estrelas como Justin Bieber.

Mas naquela noite havia um clima de mal-estar no salão onde Ballmer estava prestes a abrir a feira – uma honra que coube ao presidente da Microsoft em quinze dos dezessete anos anteriores (Bill Gates nos primeiros onze anos e Ballmer nos demais). Semanas antes, a empresa tinha declarado que esse seria seu último discurso inaugural no e-vento – e o pior: que ela não voltará no ano que vem para expor suas inovações. A época de anunciar as grandes novidades sobre seus produtos, disse a Microsoft, não coincidia com as datas da feira anual de tecnologia.

http://revistapiaui.estadao.com.br/edicao-73/questoes-tecno-empresariais/a-decada-perdida