Ataque das caravelas

Banhávamo-nos em grupo na Praia do Saco quando uma das mulheres que estavam no grupo começou a gritar: “Tira! Tira! tira!”. Era Martinha. Pensei que o peixe boi que frequenta a região tinha aparecido e a assustado. Quando fui me aproximar senti uma lancinante dor na perna. Ao abaixar-me e passar a mão na perna senti mais dor perto do pulso da mão direita. Lembrei logo das caravelas que tem infestado as praias ultimamente. Fomos presas de caça das mesmas. Gritei imediatamente para Carolina retirar Iasmin da água. 

Meu filho correu numa casa próxima e atirou uma garrafa de vinagre para socorrer-nos. Passei um pouco também e consegui algum alívio. Ao voltarmos para casa Neide sugeriu usar água sanitária. Pareceu mais eficaz do que o vinagre. Passamos também uma pomada Duodrat e tomamos Prebsin para prevenir complicações. As caravelas não eram as de Cabral mas sim como a mostrada na imagem abaixo. Estou cheio de colares vermelhos na pele, vestígios dos pontos onde a toxina foi injetada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s