Arquivo do mês: dezembro 2011

Devaneios oníricos

Num sonho louco dirijo um enorme caminhão. Na lateral do caminhão há um lavabo. Descubro então que preciso por combustível no mesmo. Pergunto no guichê se posso pagar com cartão. Aí percebo dois guichês fechados com duas funcionárias, que só podiam ser públicas, deitadas porque era hora da “siesta”. Após abastecer saio com o caminhão e percebo que o canhoto que me foi dado não se refere ao pagamento. Quero voltar para corrigir o equívoco e descubro que não sei voltar. De repente percebo que estou num lugar alto e com medo de cair me belisco pensando: “só pode ser um sonho”. Acordo numa cadeira preta de espaldar alto, acolchoada, onde estou sentado meio de banda no braço e quase caindo da mesma. O recinto parecia escuro como a cadeira. Havia também uma piscina e crianças filhas de parentes da minha mulher, que não reconheci depois que acordei. Fui até uma porta encoberta por cortinas escuras e vi que chuviscava. Achei que isso prejudicava meus planos de sair. Comecei a coletar roupas que estavam pelo chão e reclamando intimamente que minha esposa tinha me deixado dormir na cadeira e não me acordou para ir para a cama. Então acordei meio dependurado na beirada da cama e percebi que tinha sonhado dentro de um sonho.

Anúncios