Boiando num Trindade

Velejei eu e Paulo Cézar, um colega de trabalho, no sábado passado. Alugamos um Trindade na Ocean Blue. Paulo tinha experiência com Windsurf  e pegou fácil as manobras com o barco. Foi minha primeira vez com um Trindade e não tive mais dificuldade do que com o Dingue (antes velejava com Laser). Montar também não foi difícil.

Perto do meio-dia o vento caiu e ficamos boiando em frente às praias de Adão e Eva. Assim que deu voltamos para a enseada de Botafogo. Lá entrou um brisa legal e as coisas melhoraram.

Eu estava bem cansado da noitada anterior porque cheguei tarde em casa vindo do encontro dos ex-UFF de Engenharia Elétrica em Charitas (Paludo Gourmet). Deitei no fundo do barco e cochilei uns minutos.

Por falar em fundo do barco o Trindade tem 4 metros, é menor que o Dingue, mas tem um cockpit que me pareceu enorme. Nas cambadas era uma travessia que fazíamos para chegar do outro lado e sentar de novo na borda. O Trindade é pequeno por fora e grande por dentro. A geladeira é bem menor que a do Dingue da Holos. Ele singrou bem com o vento fraco (o Windguru previa 6 nós) e talvez seja bem rápido com ventos maiores. Nas condições que enfrentamos mostrou-se um barco seco. Tanto que não troquei de roupa quando voltei de carro para casa. Na loja (o dono, Alix, está no projeto do barco) me mostraram um motor Mercury de 3 HP que já foi usado no barco. O espelho de popa já está preparado para receber o motor não precisando de nenhuma peça adicional.

Levei o GPS veicular e registrei o trajeto. Depois vou colocar no Google Earth e aqui.

Anúncios

5 comentários

  1. Sem contar o período que ficamos boiando o velejo foi muito bom. Gostei do barco, fácil de manobrar e com bom espaço interno, a geladeira é que poderia mesmo ser um pouquinho maior.

  2. Chico, o tamanho da vela é maior do que a do Ding?
    Achei um trambolho. Fiquei surpreso quando vc escreveu que era menor do que o Ding.

    Poderia fazer uma comparação com Laser e o Ding?
    Tipo tabelinha?
    Vento fraco; vento forte; cambada; jaibe; sensação de velocidade; estabilidade, etc.

    [ ]’s Almir

  3. Almir, só sai uma vez e o vento estava pouco. Gostei do barco mas não sou a pessoa mais indicada para fazer a comparação que pediu. Só experimentando você mesmo para avaliar. Não dá para comparar com o Laser mas é uma alternativa ao Dingue e com várias melhorias IMHO.

  4. […] Quando estava perto avisei Neguinho mas cheguei em frente a igrejinha, onde queria aportar, antes dele. A maré me arrastou para mais adiante e tive que ‘empopar um pouco’ para voltar. Por causa disso Neguinho já estava na igrejinha piscando o farol e achei que ainda não tinha me visto. Coloquei o Laser na orça e surfei nas pequena rebentação. Botamos o Laser na carreta com a carreta de encalhe precariamente amarrada, e sem desmontar, encima do casco. No meio do caminho ela caiu e danificou a peca que prende a fita onde o casco se apóia. Vou ter que obter outra peca quando voltar ao Rio. O Laser está fazendo um pouco de água (descobri depois que é pelo nipple do esgoto do cockpit e não pelos parafusos de fixação da fêmea do leme recentemente colocados a moda do Trindade). […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s