Arquivo do mês: abril 2009

Travessia, Rio/ Ilha Grande/Parati/Rio

Amanhã parto às 20:00 para uma travesssia onde também vou aprender sobre navegação em um veleiro de oceano.

A programação (enviada pela C&L vela) é a seguinte:

01 – Nomenclatura básica que será utilizada na montagem, manobras e
velejada (revisão)
02 – Funcionamento do motor
03 – Manobras de cais
04 – Navegação a noite (carta náutica, agulha magnética, rumos,
marcações, diário de bordo, faróis, navegação estimada)
05 – Fundeio (revisão e prática)
06 – Principais nós (revisão e prática)
07 – Teoria do vento (contravento, través e popa)- (revisão)
08 – Manobras da cambada e jaibe, utilização da catraca e manicaca
09 – Regulagem da vela grande e genoa
10 – Rizar vela (revisão e prática)
11 – Armar asa de pombo (revisão e prática)
12 – Demonstração de segurança
13 – Equipamentos eletrônicos (orientação básica e GPS)

O veleiro é um Delta 32 e a programação inclui duas paradas em Ilha grande, opções: Sitio Forte, Saco do Céu ou Lopes Mendes (será definido de acordo com as condições meteorológicas). Em Parati: No Saco Mamangua, passando pela Ilha do Algodão.

Retorno no próximo domingo à noite.

SandstoneDb

Andei experimentando um pouco com SandstoneDb, uma solução de persistência similar à do Prevayler.

Criei uma classe User:

sandstonedb

O método para criação dos objetos User:

sandstonedb2

A linhas abaixo servem para criar um objeto User e armazená-lo na imagem, encontrar o objeto através de uma query e removê-lo e as duas últimas para exibí-los:

sandstonedb3

Para que a exibição de um objeto User seja legível é preciso implementar o método:

sandstonedb4

Pretendo ainda investigar como a coisa funciona para objetos mais complexos.

Run Basic

É aparentemente estranho que uma abordagem procedural baseada em Basic seja desenvolvida em Smalltalk no topo do Seaside e para construção de aplicações Web. Mas esta é a proposta do Run Basic. Baixei aqui no Mac para dar uma pequena olhada. Já fui hacker de Basic desde o tempo dos teclados de membrana no Sinclair (TK 85) e depois no MSX. Mas como há muito tempo não uso o Basic espero que os manuais no site sejam suficientes para dar uma fuçada básica. Uma das primeiras coisas que quero testar é a sua integração com o Sqlite(3).

Criei um banco de dados com o código abaixo (antes criei a pasta db usando o Finder):

todo_bas2

todo_bas_output

Embora eu tenha colocado o código fonte em um editor para melhor capturar a imagem, tudo no Run Basic acontece no web browser.

A estrutura dos programas está me fazendo lembrar de um framework chamado Eleven.

Boa parte dos projetos exemplo trabalham com um único arquivo. Encontrei runWiki que tem mais de um arquivo .bas na sua pasta mas parece que os outros arquivos são versões anteriores do arquivo runWiki.bas.